O médico Leandro Medice, 41 anos, que saiu da cidade de Vila Velha, no Espírito Santo, no último domingo (12), para ajudar as vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul, sofreu um mal súbito e morreu na madrugada desta segunda-feira (13), em um abrigo na cidade de São Leopoldo. Em publicação nas redes sociais, a clínica na qual o médico trabalhava confirmou a informação. “Comunicamos por meio deste, que na madrugada desta segunda-feira 13/05/24, o nosso querido Dr. Leandro veio a falecer, vítima de um mal súbito”, diz trecho da publicação.

No último domingo, Leandro fez uma publicação em que anunciava a ida à cidade de São Leopoldo em uma missão humanitária para auxiliar no atendimento médico à população gaúcha. “O sul tá precisando da gente, então a gente saiu um pouquinho da nossa rotina e do nosso conforto de consultório”, disse. Assista:

Clique aqui para receber notícias do WhatsApp !
WhatsApp oficial 77 98838-2781 
Participe do nosso Grupo no WhatsApp
Siga nosso Instagram
Curta nossa Pagina no Facebook
Com Informações do Vitória da Conquista Notícias

Já no abrigo, o médico publicou outro vídeo em que relatava a situação vulnerável da população afetada pelas inundações que atingiram 447 municípios do Rio Grande do Sul, entre estes, São Leopoldo. Ainda não há informações sobre como a família irá proceder com os trâmites com o corpo. “Leandro estava no RS na missão humanitária em prol das vítimas das enchentes desde ontem (domingo). Em breve, traremos mais detalhes sobre o velório e enterro”, finaliza a publicação da clínica.

“Muito saudável e sem histórico de doenças”

É assim que o marido do médico cardiologista Leandro Medice, de 41 anos, descrevia o companheiro. Na manhã desta segunda-feira (13), Medice foi encontrado morto em um abrigo de São Leopoldo, no Rio Grande do Sul. Ele tinha ido ajudar as vítimas das chuvas no estado gaúcho. Uma das suspeitas é a de que ele tenha sofrido um mal súbito.

O medico Leandro Medice era casado há seis anos. O profissional foi para o Rio Grande do Sul para ajudar vítimas das chuvas. — Foto: Reprodução/Redes sociais

“Ele era muito saudável, sempre cuidou da saúde. Nunca teve histórico nenhum de problemas. Eu ainda não consigo acreditar no que aconteceu. Quando me contaram, pensei que fosse brincadeira. Ele foi para ajudar as pessoas e aconteceu essa tragédia”, contou o acupunturista João Paulo Martins. Leandro e João Paulo estavam juntos há seis anos. Nas redes sociais, o profissional compartilhava a rotina de trabalho, as viagens que fazia com o marido, a família e os amigos. A primeira formação de Leandro Medice era fisioterapeuta. Em seguida, se formou em Medicina e fez especialização em Cardiologia. Ele trabalhou como médico intensivista e também se dedicou ao Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Nos últimos anos, se dedicou na especialidade de estética capilar em uma empresa localizada na Praia da Costa, em Vila Velha, que tinha com o marido. Um dos pacientes do médico, o advogado Michel Sabino, disse ao g1 que também tinha uma relação de amizade com o profissional e lamentou a morte de Medice. “Ele era um ser humano que contagiava aos que estava ao seu redor. Um profissional atencioso, um filho base da família, um amigo presente e incansável em fazer o bem”, pontuou. Durante nove anos, o profissional fez parte do corpo clínico do Hospital Evangélico de Vila Velha (HEVV), entre 2012 e 2021. Medice atuou no hospital como médico intensivista na unidade de terapia intensiva (UTI). O hospital divulgou uma nota lamentando a morte do profissional. “A direção do HEVV ressalta que dr. Leandro Medice sempre foi uma pessoa muito querida pelos colegas de trabalho e um profissional exemplar durante os anos em que atuou no hospital. A direção lamenta, profundamente, a morte súbita do médico”.

Compartilhe: