Dignidade. Assim pode-se resumir o impacto na vida dos moradores de municípios do Baixo Sul, na Bahia, após a aplicação do projeto desSustentabilidade viabilizado pela Fundação Odebrecht, realizado desde 2003 na região. Na última terça-feira (19), a Odebrecht apresentou à imprensa os estudos de avaliação de impacto referentes ao ano de 2017. Comemorando os resultados, o diretor na JSB Consultoria e Capacitações, Miguel Fontes, afirma que “os resultados apontam que se formou uma nova geração de agricultores, com incremento de renda e maior consciência ambiental”.

É o que indica o trabalho de “Avaliação de Impactos do PDCIS” realizado em 2018 pela consultoria JS Brasil com famílias das cidades de Piraí do Norte, Nilo Peçanha, Ibirapitanga, Presidente Tancredo Neves, Camamu, Taperoá, Igrapiúna, Ituberá e Valença. Ainda segundo Fontes, “a Avaliação de Impactos do PDCIS foi desafiadora. Avaliar impactos econômicos, sociais, ambientais e ainda os resultados da gestão do Programa. Quatro dimensões de análise, mais de 250 indicadores e visita a quase 200 propriedades do Baixo Sul da Bahia. Um trabalho orquestrado e realizado por muitas mentes e mãos, com todo o apoio da Fundação, independentemente das informações e dados que teríamos ao final do processo. Concluídos os trabalhos, temos a certeza do ineditismo do trabalho feito, pela sua qualidade científica, caracterizada por um modelo robusto de avaliação de impacto, que contou não apenas com grupos que receberam o PDCIS, mas também grupos de controle, ou seja, que não receberam o Programa, dentro do método de Diferenças em Diferenças. Na literatura, há poucos casos de avaliações desta natureza com a força e a segurança empreendida neste projeto. Daí a convicção dos impactos aferidos no PDCIS, assim como dos caminhos ainda a percorrer para que o programa seja ainda mais transformador para os jovens e famílias do Baixo Sul”, afirmou.

De acordo com a avaliação, que tratou dos impactos econômicos, sociais e ambientais do Programa de Desenvolvimento e Crescimento Integrado com Sustentabilidade (PDCIS), coordenado pela Fundação Odebrecht, baianos desses municípios reduziram em 65% a dependência de programas de assistência social, como o Bolsa-Família, e tiveram um aumento médio de R$ 25 mil na sua renda anual, podendo chegar até R$ 40 mil para agricultores cooperados.

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook