WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Maio 2019
D S T Q Q S S
« abr    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  


:: ‘Esportes’

Depois de correr em Satiago no Chile Suzy Ruas, conquista o 1ª lugar geral feminino em Coaraci Bahia

Fotos: Divulgação

Depois de correr em 10 Km em Satiago no Chile e  ser a campeã dos 5 km na meia maratona do descobrimento de Porto Seguro, ela sobe no lugar mais alto do pódio em Coaraci Bahia.

Santiago, por vezes chamada Santiago do Chile para a distinguir de cidades homónimas, é a capital e a maior cidade do Chile. Está localizada na Região Metropolitana de Santiago, no vale central chileno, ao lado da cordilheira dos Andes.

II corrida de Rua de Coaraci-BA  Campeã geral nos 10 km feminino.Obrigada, meu Deus, porque todos os dias me dás mais do que peço e muito mais do que mereço. Suzy Ruas mesmo com tantas dificuldades, não desiste dos seus sonhos e vai até o fim, o céu é o meu limite, eu vou além..
Paciência e perseverança tem o efeito mágico de fazer as dificuldades desaparecerem e os obstáculos sumirem. Parceiros: Dass outlet VDC e Tia Sônia Alimentos. Assista:

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook

:: LEIA MAIS »

Com larga vantagem, Bahia visita Londrina para confirmar vaga

Foto: Divulgação/ EC Bahia

A vantagem do Bahia de perder por até três gols de diferença é tão boa para o duelo desta quinta-feira, às 19h15, contra o Londrina, que o torcedor está até desacostumado. Afinal, faz um mês que o Esquadrão não entra em campo tranquilo como fará, à noite, pela Copa do Brasil, no Paraná.

Primeiro, no fim de março, veio o jogo decisivo da fase de grupos da Copa do Nordeste, contra o Sampaio Corrêa; depois, o duelo de abertura da terceira fase da Copa do Brasil contra o CRB, com a crise instalada pela eliminação do Nordestão. Em seguida, vitória suada aos 53 minutos no jogo de volta e empate dramático na primeira partida da final do Baianão. Para completar a sequência tensa, o time conseguiu driblar a pressão, golear o Londrina e conquistar o suado título do Campeonato Baiano contra o Bahia de Feira.

Agora, o elenco tem um pouco de paz enquanto não começa o Brasileirão. Os 4 a 0 sofrido pelo clube paranaense foi tão impactante que fez Roberto Fonseca deixar o cargo de treinador logo após a estreia. Ainda arrumando a casa, o Londrina sabe que só um milagre faz a equipe passar para as oitavas de final.

O retrospecto também ajuda o torcedor a encarar o jogo desta quarta com mais serenidade. A última vez que o Bahia levou quatro gols numa mesma partida foi em outubro de 2017 – e, caso essa improvável situação aconteça, o jogo poderia ser levado no máximo aos pênaltis, caso o Tricolor não furasse a defesa do Londrina. Mais do que isso, só em 2016, no famigerado amistoso contra o Orlando City, que terminou 6 a 1.

Ainda levando em conta os números, nem o Londrina tem no que confiar. A última vez que o time conseguiu uma goleada que seria suficiente para eliminar o Bahia foi em 2016. Na ocasião, o Tubarão aplicou 6 a 0 no Parauapebas (PA), pela própria Copa do Brasil. Só que o Bahia não é o Parauapebas.

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook

‘Eu não preciso estar aqui me justificando’, diz Ricardo David

Reprodução: Maurícia da Mata/ E.C. Vitória

Em entrevista ao jornal Correio, o presidente do Vitória, Ricardo David, que deixa o cargo nesta quarta-feira (24) com a antecipação das eleições, afirmou que está “frustrado” por não ter conquistado seus objetivos à frente do clube.

Segundo David, faltou “experiência” em algumas áreas. O presidente destacou, no entanto, que conseguiu manter as finanças do clube em dias.

“Recebi o clube com um déficit de R$ 56 milhões em 2017. Agora, vou entregá-lo com um déficit em 2018 de R$ 4 milhões. Então nessa área nós progredimos muito, em organização financeira e jurídica […] Desde dezembro não recebemos os direitos televisivos, o que nos tirou R$ 40 milhões do orçamento. Temos feito um esforço gigantesco para manter em dia as principais despesas, como salários de jogadores e funcionários”, pontuou.

Ricardo David também preferiu não entrar no debate sobre as críticas de que é o pior presidente da história do time.

“As críticas foram naturais para um clube de futebol que não alcançou os resultados em campo. Eu não preciso estar aqui me justificando, tivemos resultados ruins e num clube de futebol o maior responsável por isso é o presidente”, falou.

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook

Mountain Bike movimenta os municípios de Santa Teresinha, Itatim e Castro Alves

Foto: Google Imagem

Chegando à sua 5ª edição, O Suba 100 MTB – Inselberg Challenge movimenta os municípios de Santa Teresinha, Itatim e Castro Alves, na Bahia, desde 2015. Um dos idealizadores do evento, Pietro Baddini contou a história da competição que passou a ser considerada uma das cinco maiores provas de Mountain Bike do país.

“Santa Teresinha é a capital baiana do Voo Livre, e naquela região tem uma formação rochosa que é única do mundo, chamada de Inselbergs. Através de um estudo feito pela Ufba [Universidade Federal da Bahia], foi constatado que aquela região tem o maior conjunto de torres de pedra do mundo, chamada de placas tectônicas de Jequié. Essa região era explorada pelo voo e eles viram o potencial de trilhas no local. Resolveram fazer uma prova de Mountain Bike, que é de subida, e o principal intuito é o Challenge”, explicou ao Bahia Notícias.

A competição, marcada para os dias 26, 27 e 28 de abril, também tem crescido em participação. Segundo Pietro, a 1ª edição contou com 178 atletas de alguns estados do Brasil. No ano seguinte, a competição recebeu 600 ciclistas. No 3º foram 800 e no 4º ano 1.000 competidores. Nesta temporada serão 1.527 participantes. Outro recorde quebrado para esse ano foram as inscrições femininas. Mais de 200 mulheres vão participar.

Inicialmente, a prova era disputada em um único dia com um percurso de 100km. Porém, após duas edições, a competição mudou para 100 milhas em dois dias, divididos entre Mata Atlântica e Caatinga nos Inselbergs.

“É um Challenge de 100 milhas. Como a região tem uma trilha muito dura, ficaria impossível o atleta fazer em um dia. A prova terminaria de madrugada, caso fizéssemos isso. Resolvemos fazê-la em dois dias, sendo que no primeiro na Mata Atlântica e no segundo dia na Caatinga. Tem uma região que no mesmo lugar existem dois biomas, com a mata Atlântica de um lado e a Caatinga do outro. O primeiro dia é o de maior ascensão, é quando você sobe mais. São quase 2.500m. A prova completa tem um acúmulo de 4.500m de ascensão”, explicou Pietro.

Presidente da Federação Baiana de Ciclismo (FBC), Orlando Schmidt destacou a importância do evento para o município de Santa Teresinha: “O desenvolvimento da cidade e da cultura é um legado que não tem preço. A Federação está muito satisfeita com esse legado. Abrimos as inscrições e em 12h mais de 1.500 ciclistas se inscreveram, o que nos deixou bastante emocionados”, disse o mandatário da entidade.

“Santa Teresinha não tinha nem sequer uma pousada, eram apenas estalagens. Atualmente temos sete pousadas e um hotel fazenda. Ela vira um grande dormitório. Esse ano, mais de 220 residências foram alugadas, que é um incremento de mais de R$ 1,5 milhão. Não só para a cidade, mas também em Castro Alves, Itatim, Milagres, todos os locais são ocupados. O evento chega a receber oito mil pessoas, entre turistas e atletas”, completou Pietro.

Santa Teresinha é o Centro Esportivo do evento. Toda estrutura da prova é montada na cidade, desde a largada, premiação, logística, entre outros. O cenário do município também é destaque. Ventos, chuva, calor e frio fazem parte da prova em um mesmo dia.

Ainda segundo Pietro, os atuais campeões são os baianos Caroline e Kennedy Lago, que é atleta profissional: “Infelizmente ele não poderá participar neste ano por estar em outro evento. Porém, Mário Veríssimo, que é o atual Campeão Brasileiro de Maratonas, irá participar”, disse Pietro.

A vinda de Veríssimo foi bastante comemorada por Orlando: “Estar inserido nas melhores provas do Brasil já é de grande importância, e estar em um evento onde os grandes atletas do Brasil inteiro estão participando é uma satisfação imensa”, disse o presidente da FBC e organizador do evento.

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook

Conquista: Flamenguistas fazem a festa e param a Avenida Olívia Flores; veja vídeo

Flamenguistas conquistenses, como sempre acontece na comemoração de títulos, foram às ruas da cidade na noite de hoje (domingo) celebrar o título do Campeonato Carioca de 2019.

O rubro-negro bateu o Vasco por 2 a 0 e levantou o caneco.

Empolgados, a nação flamenguista na terceira maior cidade da Bahia fez a festa e parou a Avenida Olívia Flores. Veja vídeo:

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook

:: LEIA MAIS »

Vitória não renova com o zagueiro Carlos e jogador se transfere para Jacuipense

Considerado uma das promessas das divisões de base do Vitória, o zagueiro Carlos não pertence mais ao clube rubro-negro, de acordo com Luciano Cortizo, empresário do atleta. Segundo o agente, a diretoria da agremiação não protocolou na Federação Bahiana de Futebol (FBF) o direito de preferência no primeiro contrato profissional dele previsto pela Lei Pelé. O compromisso expirou no dia 10 de abril. Agora, o atleta assinou com o Jacuipense.

“O Vitória não renovou o contrato. Tentei vários contatos com Ricardo David [presidente do clube e Francisco Salles [vice-presidente]. O Vitória tinha a preferência para renovar, mas não protocolou na FBF o direito para renovar o contrato. Uma proposta foi oferecida, mas não nos atendia. Não sei se foi por esquecimento ou por opção. Então levamos ele para Jacuipense. Vamos disputar a Série D e o jogador vai ser muito útil na competição. Hoje Carlos pode jogar em qualquer clube do Brasil”, disse Cortizo, em entrevista ao Bahia Notícias.

Segundo Luciano Cortizo, o Vitória tinha pendências em relação ao percentual de outros jogadores agenciados por sua empresa que não foram repassados ao Jacuipense. O empresário também é gestor de base do Leão do Sisal.

“Estou com Carlos desde nove anos de idade. Não chegamos a um acordo com a proposta do Vitória. E também tínhamos um acerto com o Vitória e passei toda a documentação de contratos atrasados, de atletas que eram do Jacuipense e foram para o Vitória via parceria. Ficaram de resolver e até agora nada. É bom salientar que a pendência não é dessa gestão. É uma parceria de clube para clube e não recebi. E Ricardo David e Francisco Salles ficaram de resolver. Em janeiro, a diretoria pediu para confiar neles e eu renovei com três jogadores do sub-20”, afirmou Cortizo.

Carlos está no Vitória desde 2012 e acumula passagens pela Seleção Brasileira Sub-17 e Sub-20.

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook

Federação Baiana de Triathlon confirma nova prova para maio em Salvador

A Federação Baiana de Triathlon (Febatri) confirmou mais uma competição para 2019. A Triathlon Piatã vai acontecer no dia 19 de maio, a partir das 6h, no bairro de Piatã, em Salvador. O evento terá provas de Sprint Triathlon (750m de natação + 20 km de ciclismo + 5 km de corrida), e Fast Aquathlon (1 km de corrida + 500m de natação + 1 km de corrida). Além disso, haverá também a estreia da Categoria Militar e uma mini competição Kids (com acompanhamento dos pais ou responsáveis).

“A Febatri está muito feliz com a realização desta prova. Será uma competição de muito sucesso. O evento faz parte de um grande projeto da Federação para desenvolver o triathlon na Bahia”, disse Cleber Castro, Diretor de Marketing da Febatri.

As inscrições estão abertas e podem ser feitas através do site da Febatri, até o dia 12 de maio ou até o limite de vagas. O valor da inscrição varia entre R$ 50 e R$ 255.

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook

Bahia e Bahia de Feira empatam em 1 a 1 na primeira final do Baianão

Foto : Felipe Oliveira / EC Bahia

No primeiro jogo da final do Campeonato Baiano, Bahia de Feira e Bahia empataram hoje (14) em 1 a 1 no estádio Joia da Princesa, em Feira de Santana.

O placar foi aberto pela equipe feirense ainda no primeiro tempo, aos 28 minutos. Em um ataque fulminante, Edvan puxou pelo meio, passou por dois marcadores e tocou certeiro para Bruninho. O camisa 10 driblou Ernando, invadiu a área e chutou cruzado, sem nenhuma chance para Anderson.

A situação do tricolor baiano poderia ter se complicado ainda mais no segundo tempo. Logo aos sete minutos, o Tremendão partiu para cima novamente. Alex Cazumba, da direita, cruzou na área e, aproveitando falha de Lucas Fonseca e Ernando, Jarbas, sozinho na segunda trave, mandou para o fundo das redes.

No entanto, o lance despertou dúvidas na arbitragem e foi revisado com o auxílio do árbitro de vídeo (VAR). Utilizado pela primeira vez no Campeonato, o recurso constatou que o atacante feirense estava em posição irregular, o que causou a anulação o gol.

Apesar das pressões do tricolor de aço, que buscava o empate, e do Bahia de Feira, que procurava ampliar a vantagem, diante dos minutos de acréscimo concedidos pela arbitragem, o placar não mudava.

Quando tudo parecia encaminhar para um triunfo do Tremendão, aos 52 minutos do segundo tempo, Elton, no que parecia ser um dos últimos lances do jogo, recebeu um passe pelo meio e, de primeira, abriu para Moisés. O lateral-esquerdo cruzou na área e encontrou Rogério na segunda trave, que chutou para o fundo das redes, sem nenhuma chance para Jair, provando que, no futebol, nada está decidido até o último apito.

Após fortes emoções, o jogo foi encerrado aos 56 minutos do segundo tempo. Os times voltam a campo no próximo domingo (21), na Arena Fonte Nova.

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook

Dia Mundial do Café homenageia bebida mais popular para o brasileiro

Ministério das Relações Exteriores comemora o Dia Internacional do Café com a entrega do prêmio “Melhores cafés do Brasil”.

O Brasil é o segundo maior consumidor de café do mundo. Na primeira refeição do dia, durante o horário de trabalho ou até com eventos especiais nos fins de semana, o produto faz parte da rotina e da história de milhares de brasileiros.O Dia Mundial do Café é comemorado neste domingo (14).

“Pessoas nem conseguem entender porque elas tomam café, m as elas tomam todos os dias.”, diz Victor Ávila,. barista e dono de uma cafeteria em Brasília.

“Além de apreciar o gosto, tenho memórias afetivas com café, lembrando dos lanches na casa das minhas avós; de acordar com o cheirinho do café passado por minha mãe”, conta a médica Camila Damasceno. Ela toma o tradicional cafezinho todos os dias, “pelo menos quatro vezes”.

A servidora do Banco do Pará, Salete Gomes, tem o mesmo hábito, consumindo a bebida diariamente. No fim de semana, ela tenta tomar apenas após o almoço, mas durante a semana conta que não consegue ficar sem. “Normalmente quando não tomo café pela manhã, mesmo que faça o desjejum, sinto dor de cabeça.”

Consumo
Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic), o consumo médio anual por pessoa é de seis kg de café cru e 4,8 kg de café torrado e moído.

De acordo com dados mais atualizados da Abic, a produção nacional chegou a 21 milhões de sacas em 2018 (considerado o período entre novembro de 2017 e outubro de 2018).

A soma representou aumento de 5% em relação aos doze meses anteriores (novembro de 2016 a outubro de 2017), período no qual foi registrada a produção de 20 milhões de sacas.

A associação ressalta que o desempenho foi importante, considerando que houve uma baixa entre 2016 e 2017 da oferta do grão em razão de uma seca que atingiu a plantação do produto.

No consumo per capita, a variação entre os dois períodos foi de 4,65 kg para 4,82 kg de café torrado e moído.

A análise da evolução é complexa, já que a entidade alterou a metodologia (deixando de considerar as sacas de empresas não cadastradas). Mas na série histórica, o Brasil teve uma boa evolução nos anos 2000, saindo de 13 milhões para 20 milhões de sacas em 2011. Depois disso, o país vem mantendo esse patamar.

Quanto ao tipo, o consumo ainda é dominado pelo café em pó, responsável por 81% do produto consumido no país, segundo dados de 2017.

Em seguida, vem o grão torrado, com 18%. As cápsulas, cada vez mais disponíveis em supermercados, representavam somente 1% do total no ano do levantamento.

A Abic avalia que há uma demanda maior por cafés de qualidade. Segundo estatísticas da associação, na análise dentro do que a entidade chama de “categoria de qualidade”, a modalidade “gourmet” teve participação de 6% em 2016. Mas a projeção da associação é que seu peso no mercado chegue a 12% neste ano.

Novas variedades
Barista e sócio de uma cafeteria em Brasília, Vitor Ávila também identifica este movimento por um maior interesse em cafés diferentes e especiais.

“Pessoas estão começando a entender que café pode ser uma bebida mais complexa do que vinho, cerveja. Por isso, há tantas cafeterias e torrefações abrindo.”, destaca.

Segundo ele, há um trabalho com pequenos produtores, mas também os grandes estão saindo do que chamou de “café de commodity”. O país estaria rumando a um “viés de qualidade”.

Com isso, continua Ávila, o Brasil estaria se aproximando de nações com maior tradição em cafés especiais, como na América Central e na África.

“A gente é o maior produtor de café, mas não somos o produtor de café especial do mundo. O Brasil está se encaminhando para ser um dos maiores do mundo.”, acredita.

Mas há quem prefira ficar no básico. “Gosto do tradicional, o pó embalado a vácuo, sentir aquele cheiro irresistível quando está sendo coado, no filtro de papel ou no velho coador de pano.”, comenta a bancária Salete Gomes. “Tenho uma máquina Nespresso, às vezes é meu “momento Gourmet “, mas nada substitui o bom café coado.”, diz a professora de francês Rebeca Porto. Leia mais AQUI.

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook

Time profissional do Bahia se muda para a Cidade Tricolor em 2020

Apesar da programação de entrega da Cidade Tricolor, em Dias D’Ávila, mantida para o mês de julho, o Bahia ainda não irá fazer a mudança de forma completa para o novo centro de treinamento desde ano. De acordo com apuração da reportagem do Bahia Notícias, a equipe profissional só passa a treinar na estrutura a partir de 2020.

Os dirigentes do Esquadrão de Aço entendem que uma mudança no meio da temporada seria complicada para o time por questões de logística. Enquanto o elenco principal não vai, os jovens da base tricolor já começam a trabalhar na Cidade Tricolor após a entrega.

Em entrevista ao Programa do Esquadrão, da Rádio Sociedade, o diretor-executivo do clube, Pedro Henriques, comentou o processo de requalificação do CT, que ficou sem utilização durante anos em virtude de um imbróglio jurídico.

“Será entregue em julho. São quatro campos, com saneamento, toda a parte de drenagem, irrigação, todos de grama natural… Tem capacidade para colocar mais quatro campos. Já temos orçamentos estabelecidos e pré-aprovados para a instalação de dois campos sintéticos, mas isso não vai ser feito no primeiro momento. Tudo depende da disponibilidade de caixa. Todo mundo sabe a capacidade do Bahia. A gente tem conseguido aumentar nossas ações, com novidades, marca própria, plano de sócios, mas a gente vai fazendo incrementos à medida da disponibilidade de caixa. Isso vai sendo feito à medida da nossa conveniência. Até julho deve estar pronto. Tudo está dentro do cronograma”, afirmou.

Com a mudança para a Cidade Tricolor, o futuro do Fazendão, atual centro de treinamento, deve ser definido com o auxílio do Conselho Deliberativo e dos sócios do clube.

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook

blog do marcelo




WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia