Um jovem de 24 anos morreu na noite desta quarta-feira (20) após ser baleado por um policial militar durante uma confusão na cidade de Franca. Segundo informações do boletim de ocorrência, Jean Aparecido Santos Silva teve um surto psicótico, danificou uma ambulância do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e agrediu um policial.

De acordo com PM, a guarnição foi acionada para auxiliar a equipe de socorristas no atendimento ao paciente. Por conta de sua agressividade foi usada uma pistola de choque para contê-lo, mas um parente teria ficado incomodado com ação e tentou evitar que Jean fosse detido.

WhatsApp oficial 77 98838-2781 

Siga nosso Instagram

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Jean foi baleado no bairro São Domingos, chegou a ser socorrido, mas morreu na Santa Casa de Franca, SP — Foto: Reprodução/EPTV

Consta no boletim de ocorrência que na sequência os policiais pediram reforço, quando Jean derrubou o policial no chão e passou a agredi-lo com chutes. O rapaz ainda teria tentado alcançar a arma do agente que reagiu e disparou quatro vezes contra ele. Jean foi socorrido ao hospital Santa Casa, mas não resistiu. Já o policial foi encaminhado para a unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade com uma fratura no braço. O caso foi registrado como homicídio simples, dano e resistência na delegacia de Polícia Civil.

Paciente com surto

Segundo a família, Jean sofria de problemas neurológicos e costumava ficar violento. Ele inclusive teria fugido do Hospital Psiquiátrico Allan Kardec, onde fazia tratamento. Parentes, contudo, acreditam que a ação da polícia foi desproporcional. O corpo do jovem foi enterrado na tarde desta quinta-feira (21) no Cemitério Santo Agostinho.

Outro lado

Em nota, a PM informou que será aberto um inquérito para apurar a conduta do policial e que ele ficará afastado das funções operacionais até a conclusão das investigações. Também disse que a missão da corporação é proteger as pessoas, fazer cumprir as leis, combater a criminalidade e preservar a ordem pública. “[A Polícia Militar] Não coaduna com qualquer tipo de violência, pautando-se sempre pela legalidade e agindo dentro de procedimentos operacionais padrão.”