Um vídeo das câmeras de segurança do ônibus da empresa Rota Transportes que se envolveu em um acidente com 12 mortos e mais de 20 feridos, na noite de quarta-feira (29) na BR-101, em Eunápolis, mostra os instantes que antecederam a colisão. Nas imagens, é possível ver que uma criança de um ano e meio viajava no colo da mãe e a outra, de 10, ao lado dela, quando ocorreu a batida. Os três morreram no acidente.

O vídeo revela que o ônibus trafegava atrás de um caminhão em velocidade compatível. O motorista, que dirigia atentamente, já havia passado a ponte e se aproximava de uma curva quando o último compartimento de uma carreta bitrem, que vinha em sentido contrário, atingiu em cheio o ônibus. Surpreendido, o condutor ainda tentou tirar o veículo para o acostamento, mas não teve tempo. Ele foi uma das vítimas fatais da tragédia. Assista:

WhatsApp oficial 77 98838-2781 

Siga nosso Instagram

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Depoimento na delegacia

O motorista do caminhão envolvido no acidente se apresentou na manhã desta sexta-feira (1º) à Polícia Civil. Após depor por mais de quatro horas, Diógenes Nery de Jesus, de 38 anos, deixou a delegacia sem falar com a imprensa. O advogado Eduardo Foca, que representa o motorista e a empresa Gomes Transportes, proprietária do caminhão, apresentou a versão de seu cliente e manifestou condolências às famílias das vítimas.

Segundo ele, Diógenes contou que conduzia o caminhão em velocidade compatível quando percebeu que, em um determinado momento, um dos compartimentos do bitrem se soltou, ocasionando a tragédia. O advogado ressaltou que toda a manutenção do veículo estava em dia e que as causas do acidente ainda estão sendo estudadas. Sobre o fato de Diógenes não ter ficado no local para prestar socorro às vítimas, o advogado afirmou que o motorista chegou a pedir auxílio a um pedestre, mas foi informado que corria o risco de ser linchado, por isso decidiu ir embora.

Segundo o delegado Eridelson Bastos, o motorista alegou, em depoimento, que dirigia em baixa velocidade no momento do acidente porque sabia que naquele ponto da rodovia havia um distrito (Mundo Novo) e uma ponte perigosa. Ele declarou que quando estava para fazer a curva sentiu que a carreta “puxou” para a contramão por duas vezes e percebeu que um dos bitrem ganhou força, atingindo o ônibus, que vinha em sentido contrário. O motorista disse ainda que, após a colisão, parou a carreta um pouco mais adiante para não deixar a ponte interditada. Ele teria pedido a um rapaz desconhecido que passava pela estrada para que checasse o que havia acontecido, sendo aconselhado a deixar o local pois corria o risco de ser linchado devido à gravidade do acidente.

Diógenes contou à polícia que permaneceu escondido atrás de uma árvore até o final do trabalho da perícia, por volta da meia-noite, quando, então, pegou uma carona até Eunápolis. O motorista ressaltou, em depoimento, que o veículo havia passado por manutenção entre os dias 26 e 28 de setembro em Teixeira de Freitas, e era a primeira viagem que fazia depois da revisão. De acordo com o delegado Eridelson, o ônibus foi periciado nesta sexta-feira e a carreta ainda passará por nova perícia para determinar qual a causa do acidente. “Vamos esperar o laudo técnico e, nesse meio tempo, vamos ouvindo outras pessoas”, salientou o delegado. // Radar 64.