O desconhecido que matou Leonardo dos Santos Antonio, de 32 anos, na madrugada deste sábado (10) na saída de um bar de Guarujá, no litoral de São Paulo, teria perguntado a ele e outras duas pessoas ‘quem seria o primeiro a morrer’ antes de efetuar o disparo, de acordo com uma testemunha. A identidade do atirador ainda não foi revelada, mas a Polícia Civil afirma que já o identificou e está à procura do homem. Mais detalhes ainda não foram divulgados para não prejudicar o andamento das investigações.

Em entrevista ao G1, um dos amigos que acompanhava Leonardo no restaurante bar Kairós, que fica na avenida Dom Pedro, no Jardim Tejereba, relatou os momentos que antecederam ao crime, que aconteceu sem motivação aparente. Eles aproveitavam a noite no bar já que Leonardo, que trabalhava em Santa Catarina, pegaria a estrada no dia seguinte.

Ainda em choque, a testemunha relata que chegou ao restaurante com os amigos por volta das 21h. Eram quatro amigos no total, e eles sentaram-se em uma mesa próxima ao palco, onde ficaram pelo resto da noite. Por volta das 00h, todos decidiram ir embora, então pediram ao garçom para fechar a conta. No caminho até o caixa, encontraram um comerciante conhecido na região, que cumprimentaram rapidamente. À mesa com ele haviam mais pessoas, dentre elas o homem que minutos mais tarde cometeria o crime.

‘Quem vai ser o primeiro a morrer?’

O grupo pagou a conta e três deles decidiram ir ao banheiro. Na saída, à caminho da porta, eles foram parados pelo homem que estava na mesa sentado com o comerciante. Segundo o relato de um dos amigos, ele perguntou ao trio quem seria o primeiro a morrer. “Ele perguntou num tom que parecia até brincadeira. Ninguém entendeu nada, então ficamos sem reação”, conta o sobrevivente. Ele diz, ainda, que o desconhecido insistiu na pergunta, mandando eles decidirem logo quem seria o primeiro a ser assassinado.

WhatsApp oficial 77 98838-2781 

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook

 

Polícia procura suspeito por assassinato em bar na Enseada

Neste momento, ele sacou a arma e ficou revezando, apontando para um de cada vez. “Ele apontava a arma pro rosto do Leonardo, pra mim e pro meu amigo. Depois, voltava pro Leonardo. Fez isso duas vezes”, relata o amigo. “Na terceira vez, quando ia voltar a arma pra mim, ele mirou no Leo e atirou.” “Ele atirou e pegou bem no nariz do Léo. Nisso, o Leonardo virou o rosto pra mim, abriu os olhos e me olhou sem entender nada. Ele não falou nada e no instante seguinte caiu duro no chão, como uma pedra”, recorda. Em seguida, o atirador perguntou quem seria o próximo, conforme conta o amigo. “E eu saí correndo. Tinha acabado de ver ele baleando meu amigo na minha cara, então na hora eu me desesperei, não queria ser o próximo”, desabafa. Ele só parou de correr duas quadras depois, quando chegou a um mercado e pediu socorro ao segurança do local.

Quem vai ser o primeiro a morrer?', perguntou atirador antes de matar homem  no litoral de SP | Santos e Região | G1

O atirador aproveitou a confusão dos clientes, que correram do restaurante assustados após o tiro, para fugir no meio da multidão. Até o momento, ele ainda não foi encontrado pela Polícia, que afirma tê-lo identificado com base no depoimento das testemunhas e funcionários do restaurante, já que o atirador seria cliente recorrente. Uma ambulância do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) foi acionado para socorrer Leonardo, mas ele não resistiu e morreu no local. Seu corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Praia Grande. O homicídio foi registrado na Delegacia Sede de Guarujá, mas será encaminhado para prosseguimento das investigações na Delegacia de Homicídios de Santos.

A Tribuna - Polícia