Uma mulher foi presa suspeita de matar um jovem de 22 anos no povoado de Marreca, zona rural da cidade Capela do Alto Alegre, distante 200 quilômetros de Salvador. A prisão ocorreu na terça-feira (15), mas as informações foram divulgadas nesta quarta (16) pela Polícia Civil. O corpo de Otacílio Júnior Souza Santos, de 22 anos, foi achado dentro de uma casa abandonada, no dia 27 de agosto deste ano. Segundo investigação do titular da Delegacia Territorial (DT) de Capela do Alto Alegre, Hidelbrando Alves da Silva, o crime foi motivado por ameaças da vítima contra a autora.

De acordo com o delegado, Otacílio foi aluno da suspeita e eles tiveram um relacionamento amoroso. As investigações apontam que a vítima ameaçou publicar nas redes sociais e divulgar o caso com a professora. A polícia não soube informar em qual unidade de ensino ela lecionava e também que eles se conheceram. O corpo de Otacílio foi encontrado com um ferimento causado por arma branca. Segundo a Polícia Civil, arquivos deixados por ele contribuíram para a elucidação do caso. “Familiares apresentaram um cartão de memória com áudios e outras provas, que apontaram a autoria”, complementou, em nota, o delegado Hidelbrando Alves da Silva. A Polícia Civil informou que a mulher passou por exames de lesões corporais e segue presa, à disposição do Poder Judiciário. As investigações continuam, com a finalidade de esclarecer a possível participação de outros envolvidos.

Rapaz chegou a ser sequestrado, como “aviso”

De acordo com os levantamentos policiais, após o crime surgiram comentários deram conta da autoria ser a acusada uma professora, que por conta da nova Lei define os crimes de “abuso de autoridade”, o nome não pode ser divulgado. Conforme foi encontrado nos pertences de Siluzinho na residência indicado pela vítima ao amigo onde a vítima teria guardado um cartão de memória com provas contra a Professora que seria responsabilizada “pela morte da vitima” caso a vítima viesse a morrer.

Conforme a policia, o cartão foi apresentado pelo pai da vítima, e tendo encontrado nesta mídia vários áudios de conversas da vítima com a professora, onde se vê ameaças por parte da acusada. E uma cobrança de dois celulares da vítima que teria dado a acusada e não queria devolver. No mês de abril a vitima, Siluzinho, sofreu um sequestro onde levaram seu celular e ainda deram um tiro na mão dele. Onde em conversas na mídia deixada pela vítima responsabiliza a acusada por ter mandado sequestra-lo. Diante das provas preliminares colhidas pelo Delegado de policia Civil Dr Hildebrando, com oitivas de testemunhas do pai e irmã da vítima, foi representado pela prisão temporária da acusada, e sendo acatado pelo juízo que assim decretou a prisão. Que a presa será recambiada para DT de barrocas sob os cuidados do Delegado Titular Dr Michael. // G1 Bahia . SN Notícias.

Clique aqui para receber notícias do WhatsApp !

WhatsApp oficial 77 98838-2781 

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook