Quatro pessoas da mesma família morreram após um elevador despencar do nono andar de um edifício da Marinha em Santos, no litoral de São Paulo, na noite desta segunda-feira (30). De acordo com o Corpo de Bombeiros, não havia mais ocupantes no interior da cabine no momento do acidente.

Segundo a Capitania dos Portos de São Paulo (CPSP), as vítimas são a esposa e familiares de um suboficial da Marinha. Conforme apurado pelo G1, a queda do equipamento aconteceu em um edifício residencial localizado na Rua Guararapes, no bairro Vila Belmiro, por volta das 20h. Até a última atualização desta reportagem, as causas do acidente permaneciam em apuração. Assista:

Clique aqui para receber notícias do WhatsApp !

WhatsApp oficial 77 98838-2781 

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook

Equipes do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar, da Defesa Civil do Santos e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram acionadas para atender à ocorrência. A perícia também se dirigiu ao local. Os corpos foram retirados já na madrugada de terça-feira (31). Segundo a Defesa Civil, as vítimas estavam em um elevador de serviço no momento do acidente. A Rua Guararapes foi totalmente interditada por equipes da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-Santos) de Santos.

Resultado de imagem para quatro pessoas santos

A Prefeitura de Santos lamentou profundamente a morte das vítimas do acidente no elevador de serviço do Edifício Tiffany. Equipes do SAMU foram acionadas e prestaram socorro imediato ao chamado e a Defesa Civil acompanhou o atendimento e apuração da ocorrência. Segundo a Prefeitura, um engenheiro da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Edificações também foi ao local, acompanhado da equipe técnica da empresa que presta serviços de manutenção dos elevadores do prédio, para acompanhar o início das investigações sobre as causas da queda da cabine.

Resultado de imagem para quatro pessoas santos

Em cumprimento à legislação municipal, cabe à empresa a responsabilidade de garantir a segurança do funcionamento dos elevadores. A Prefeitura faz fiscalizações periódicas em edifícios e especialmente em duas situações: denúncias na Ouvidoria Municipal ou observação de alteração no funcionamento do equipamento nos relatórios de regularidade. A Ouvidoria Municipal aponta também que, até a presente data, não recebeu nenhuma denúncia ou registro de ocorrência sobre possíveis irregularidades no endereço do acidente. A Prefeitura ainda informa que todos os documentos relativos ao elevador em questão serão disponibilizados às autoridades policiais.