[Nove pessoas morrem todos os dias vítimas de câncer na Bahia]

O câncer mata mais do que a violência. É o que apontam os dados do Ministério da Saúde, que mostram 185 mortes diárias decorrentes da doença no país. Os números foram coletados pelo BNews e se referem aos óbitos registrados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) entre janeiro e outubro de 2019. Na Bahia, a taxa é de nove mortes todos os dias.

Para se ter uma noção do aumento, em 2011, a neoplasia maligna sequer aparecia na lista das principais causas de morte do estado. Hoje, é líder. Na Bahia, os cânceres de mama, de estômago e de próstata são os que mais fazem vítimas. Entre 2008 e outubro de 2019, houve variação positiva de 70% nos registros de óbitos, acima da nacional, que cresceu 55% no mesmo período.

Para a médica e pesquisadora do Núcleo de Oncologia da Bahia, Clarissa Mathias, “é necessária uma conscientização da população em relação aos métodos de diagnóstico precoce, porque a doença, quando identificada precocemente, é curável em muitos casos”.

No entanto, como foi noticiado pelo BNews em outubro, apenas 26,52% da população diagnosticada com câncer na Bahia dá início ao tratamento em até 30 dias do recebimento da notícia da doença. Os dados são do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde do Brasil (DataSus), analisados entre o período de 2013 e agosto de 2019.

De acordo com a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), “o paciente com neoplasia maligna tem direito de se submeter ao primeiro tratamento no Sistema Único de Saúde (SUS), no prazo de até 60 (sessenta) dias contados a partir do dia em que for firmado o diagnóstico em laudo patológico ou em prazo menor, conforme a necessidade terapêutica do caso registrada em prontuário único”.

A regra dos 60 dias, no entanto, prevista na Lei 12.732/2012, foi alterada por uma norma sancionada, em outubro, pelo vice-presidente, Hamilton Mourão, que determinou prazo de até 30 dias para início do tratamento contra o câncer pelo SUS. O novo texto foi aprovado pelo Senado, fundamentado no fato de que o tempo de identificação da doença impacta no tratamento e na chance de cura do paciente.

Causas e mortes
Em 12 anos, o câncer matou mais de 620 mil brasileiros, que passaram por tratamento junto ao Sistema Único de Saúde. O hematologista e diretor médico da Clínica AMO, Alex Pimenta, explicou que “a idade é o principal fator de risco para o câncer e infelizmente é não-modificável, já que trata-se, portanto, de uma questão biológica para a qual não teremos solução, pelo menos com a tecnologia atual”.

Já o oncologista Augusto Mota destacou que “cerca de 70% dos cânceres são diagnosticados acima de 60 anos e, como no avançar da idade muitos pacientes deixam de ter condições clínicas para suportar os tratamentos que poderiam curar ou mesmo prolongar a sobrevida, há maior mortalidade nessa faixa etária”.

Para o secretário da Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, há dois fatores que levam ao aumento dos casos de câncer: tecnologia e envelhecimento da população. A tecnologia, porque, segundo ele, “podem diagnosticar mais precocemente a doença, levando a um aumento dos registros”.

“A população está envelhecendo. Esse é o maior problema do mundo no âmbito da saúde pública. O envelhecimento da população provoca mortes não só pela idade, mas também por conta das consequências do câncer”, afirmou o secretário.

De acordo com a Sociedade Norte-Americana de Câncer (American Cancer Society), entre 2010 e 2030, o número de novos casos de neoplasias malignas passará de 14,6 para 20,2 milhões ao ano, principalmente nos países em desenvolvimento, como o Brasil, onde os fatores de riscos e procedimentos preventivos são menos cuidadosos.

Veja onde buscar tratamento gratuito na Bahia:

  • Feira de Santana –  Hospital Dom Pedro de Alcântara – 75 3604-5500; Santa Casa de Misericórdia de Feira de Santana (Unacon com serviços de Radioterapia e Hematologia) – 75 3221-6734

  • Ilhéus –  Hospital São José Maternidade Santa Helena – 73 3234-5750; Santa Casa de Misericórdia (Unacon) – 73 3634-3225

  • Itabuna – Hospital Calixto Midlej Filho (Unacon com serviço de Radioterapia) – 73 3214-9100; Hospital Manoel Novaes – 73 3214-4300

  • Juazeiro – Hospital Regional de Juazeiro (Unacon) – 74 3614-8350

  • Salvador – Centro Estadual de Oncologia – Cican (Unacon) – 71 3116-5481; Hospital Aristides Maltez/Liga Bahiana Contra o Câncer (Cacon com serviço de Oncologia Pediátrica) – 71 3357-6800; Hospital Geral Roberto Santos/SES (Unacon com Serviço de Radioterapia) – 71 3117-7500; Hospital Martagão Gesteira/Liga Álvaro Bahia Contra a Mortalidade Infantil (Unacon exclusivo de Oncologia Pediátrica) – 71 3032-3700; Hospital Professor Edgard Santos/Hospital Universitário MEC-Universidade Federal da Bahia/Fapex (Unacon com serviço de Hematologia)  – 71 3283-8194; Hospital São Rafael/Fundação Monte Tabor (Unacon com serviço de Radioterapia) – 71 3409-8000; Hospital Santa Isabel/Santa Casa de Misericórdia da Bahia (Unacon com serviços de Radioterapia e Hematologia) – 71 2203-8444; Hospital Santo Antônio/Obras Sociais Irmã Dulce (Unacon) – 71 3310-1100

  • Teixeira de Freitas – Hospital Municipal de Teixeira de Freitas/Prefeitura Municipal de Teixeira de Freitas (Unacon) – 73 3291-8519

  • Vitória da Conquista – Conquista Assistência Médica Ltda/OncoMed Rad – 77 3423-1111; Hospital Geral de Vitória da Conquista – 77 3427-4606

    Clique aqui para receber notícias do WhatsApp !

    WhatsApp oficial 77 98838-2781 

    Participe do nosso Grupo no WhatsApp

    Siga nosso Instagram

    Curta nossa Pagina no Facebook