Giuseppe Cacace/AFP

Não deu para o Flamengo na busca pelo bicampeonato mundial. No reencontro com o Liverpool na final do Mundial de Clubes, hoje, no Qatar, o Rubro-Negro fez uma grande partida, mas perdeu por 1 a 0. Os comandados de Jorge Jesus ameaçaram o campeão da Europa e tiveram chances de marcar, mas acabaram sofrendo um gol de Roberto Firmino já na prorrogação, que decretou o triunfo do time inglês.

Este foi o primeiro título mundial do Liverpool, que já havia perdido outras três decisões: em 1981, para o próprio Flamengo, em 1984, para o Independiente-ARG, e em 2005, para o São Paulo.

Diferentemente da semifinal contra o Monterrey, quando poupou titulares, desta vez o técnico Jürgen Klopp escalou a força máxima que estava à sua disposição. Mas o Liverpool não manteve o ritmo alto o tempo todo e viu o Flamengo complicar o jogo em vários momentos. Tanto Alisson quanto Diego Alves, aliás, fizeram defesas importantes.

Cronologia do jogo

Clique aqui para receber notícias do WhatsApp !

WhatsApp oficial 77 98838-2781 

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook

Giuseppe Cacace/AFP

Imagem: Giuseppe Cacace/AFP

O Liverpool começou o jogo em alta intensidade e perdeu duas chances claras nos primeiros minutos, com Roberto Firmino e Keita chutando para fora na cara do gol. Mas o Flamengo equilibrou o jogo depois dos 15 minutos e chegou até a ser mais perigoso, apesar de não criar chances claras.

O segundo tempo seguiu roteiro parecido: Liverpool melhor no início, perdendo chances, e Flamengo nivelando depois, mas caindo após as substituições de Jorge Jesus. Já nos acréscimos da segunda etapa, o juiz chegou a dar pênalti para o Liverpool, mas anulou a marcação após revisão no VAR.

Na prorrogação, o Liverpool pareceu sobrar fisicamente. Roberto Firmino fez 1 a 0 para o Liverpool aos 8 minutos. O Flamengo foi para cima depois disso e se lançou ao ataque, mas não conseguiu o empate. Lincoln ainda teve uma chance de ouro no último minuto, mas chutou por cima ao receber cruzamento de Vitinho.

Firmino perde chances, mas decide no fim

Giuseppe Cacace/AFP

Imagem: Giuseppe Cacace/AFP

O atacante da seleção brasileira teve a primeira grande chance do jogo logo aos 40 segundos, após receber passe pelo alto de Alexander-Arnold, sair na cara do gol e errar a finalização, mandando por cima. O cenário se repetiu no começo da segunda etapa, quando ele deu drible espetacular em Rodrigo Caio e chutou com estilo, mas parou na trave. Firmino só conseguiu balançar a rede na prorrogação: recebeu de Mané na área, teve calma para limpar a marcação de Rodrigo Caio e estufou a rede do Flamengo para decidir o título mundial.

Foi bem: Willian Arão faz grande jogo

Apesar da derrota, o volante Willian Arão fez uma partida exemplar contra o Liverpool. Bem posicionado, levou a vantagem em grande parte dos embates e foi preciso nos desarmes e nos passes, iniciando boa parte das ações ofensivas. Arão foi ajudado por Gerson, enquanto teve pernas. O camisa 8 não foi tão vistoso, mas foi importantíssimo para o Fla equilibrar o duelo no meio.

Foi mal: Chamberlain destoa tecnicamente

Karim Jaafar/AFP

Imagem: Karim Jaafar/AFP

O meio-campista do Liverpool foi a surpresa na escalação de Klopp, que preferiu deixar Milner no banco. Mas a atuação em campo não justificou a opção do treinador. Destoando tecnicamente dos outros jogadores do Liverpool, Chamberlain desperdiçou algumas boas chances de ataque e chegou até a matar uma bola de canela. Acabou saindo lesionado no segundo tempo para a entrada de Lallana.

O jogo do Liverpool: começos fortes e queda de ritmo

O Liverpool iniciou a partida ao seu estilo característico: muita intensidade na marcação e pressão sobre o adversário. Com bolas roubadas no ataque, trocas rápidas de passe e lançamentos, o time perdeu duas chances cristalinas com Roberto Firmino e Keita, que ficaram de frente para o gol, mas finalizaram por cima. Depois dos 15 minutos, porém, o ritmo dos europeus baixou demais, e a marcação ficou passiva. O Liverpool insistiu bastante nos lançamentos longos no primeiro tempo, mas não levou mais perigo a Diego Alves.

Na segunda etapa, de novo os ingleses começaram em ritmo alto e assustaram o Flamengo: Firmino finalizou na trave após lindo drible em Rodrigo Caio, e Salah desviou cruzamento para fora. Mas, novamente, a intensidade não durou. O jogo foi morno até o final, quando os europeus voltaram a acelerar e chegaram a pressionar o Rubro-Negro. Na melhor chance, Mané saiu na cara do gol após passe de Firmino, mas errou a finalização; o árbitro chegou a dar pênalti por falta de Rafinha, mas depois voltou atrás com o VAR.

O jogo do Fla: qualidade na posse e boas chances

O Flamengo começou acuado diante da marcação pressão do Liverpool, mas aos poucos foi entrando no jogo. Depois dos 15 minutos, o Rubro-Negro passou inclusive a controlar mais a posse de bola e demonstrar sua qualidade habitual, com os laterais achando espaço para construir jogadas e Bruno Henrique muito perigoso nas costas da zaga inglesa. Faltou, porém, acertar o último passe para criar oportunidades mais claras contra Alisson. Na marcação, o Fla também fez o jogo de sempre e dificultou várias vezes a saída de bola do Liverpool.

No segundo tempo, o Flamengo seguiu ao seu estilo e conseguiu de novo suportar a pressão inicial do Liverpool. Gabigol teve duas chances boas de finalizar, mas mandou a primeira por cima e, na segunda, parou em defesa espetacular de Alisson. Nos minutos finais, já após as saídas de Arrascaeta e Everton Ribeiro, o Fla não conseguiu manter tanto a bola e voltou a passar sufoco, mas Diego Alves brilhou em finalização de Henderson de longe. Na prorrogação, faltou gás, mas Lincoln poderia ter empatado na última bola.

Árbitro dá pênalti para o Liverpool e volta atrás com VAR

Ibraheem Al Omari/Reuters

Imagem: Ibraheem Al Omari/Reuters

Já nos acréscimos do segundo tempo, Mané recebeu bola em profundidade de Firmino, saiu na cara do gol e caiu em chegada de Rafinha por trás. O árbitro marcou pênalti, mas, após muita reclamação, foi rever o lance no monitor do VAR. Após alguns minutos, mudou a marcação e decidiu que nem falta foi. Também houve a dúvida se o lance ocorreu fora ou dentro da área.

Com mais barulho, Fla vence duelo da arquibancada

Havia mais camisas do Liverpool no estádio, mas a torcida do Flamengo se fez mais presente durante a partida, especialmente a que ficou concentrada atrás de um dos gols. Entusiasmados, os rubro-negros apoiaram a equipe e vaiaram quando os ingleses tinham a bola. Os Reds, por sua vez, tiveram comportamento bem mais passivo no estádio Khalifa.

FICHA TÉCNICA

Liverpool 1 x 0 Flamengo

Local: Khalifa International Stadium, em Doha (Qatar)
Data: 21 de dezembro de 2019 (sábado)
Horário: 14h30 (de Brasília)
Árbitro: Abdulrahman Al Jassim (Qatar)
Assistentes: Taleb Al Marri e Saoud Ahmed Almaqaleh (Qatar)
VAR: Juan Martínez Munuera (Espanha)

Gol: Roberto Firmino, aos 8 minutos do 1º tempo da prorrogação
Cartões amarelos: Mané, Salah, Firmino e Milner (Liverpool); Vitinho e Diego (Flamengo)

Liverpool: Alisson; Alexander-Arnold, Gomez, Van Dijk e Robertson; Henderson, Oxlade-Chamberlain (Lallana) e Keita (Milner); Salah (Shaqiri), Roberto Firmino (Origi) e Mané. Técnico: Jürgen Klopp

Flamengo: Diego Alves; Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luís; Willian Arão (Berrío), Gerson (Lincoln), Everton Ribeiro (Diego) e De Arrascaeta (Vitinho); Gabigol e Bruno Henrique. Técnico: Jorge Jesus