Um policial militar ambiental do município de Paranaíba, no Mato Grosso do Sul, é suspeito de ter matado a esposa, Regianni Araújo, de 32 anos, e o assessor do deputado estadual João Henrique Catan (PR), Fernando Henrique Freitas, por suspeita de um relacionamento extraconjugal entre eles.

Segundo informações do site Mídia Max, o crime aconteceu na noite desse sábado (05). O policial militar ambiental Lúcio Roberto Cabral teria ido armado até a casa de Fernando, acordando a vítima com um chute e, em seguida, disparando cinco tiros contra ele. Logo depois, ele teria voltado até a casa dos pais dele, onde estava a mulher, e teria feito três disparos contra ela.

Segundo informações da Delegacia de Atendimento à Mulher (DAM) do município, o suspeito responde por feminicídio e por homicídio qualificado, mas ainda não foi encontrado pela polícia.

À publicação, o deputado estadual lamentou a morte do assessor. “Eu não perdi um assessor, eu perdi um amigo de infância que me ajudou muito na eleição em Paranaíba, sempre esteve conosco, trabalhou com a gente mesmo antes da política. É uma tragédia para ambas as famílias. Paranaíba com certeza está em choque”, disse o deputado.

WhatsApp oficial 7798838-2781 

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook