Após ser flagrado em um bar com duas mulheres, o goleiro Bruno, condenado pela morte de Eliza Samúdio, perdeu o direito de trabalhar fora da prisão. O atleta também pode ser transferido para uma prisão de regime mais duro.

A decisão da 1ª Vara Criminal e de Execuções Penais de Varginha (MG), dada ontem (11), considerou que o detento cometeu falta grave ao frequentar o bar e determinou que ele permaneça em regime fechado.

Um processo administrativo havia absolvido Bruno pela ida ao bar, mas a decisão judicial prevalece sobre esse entendimento. A defesa do jogador vai entra com recurso.

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook