Após declarações de participantes do Big Brother Brasil 19 levarem a acusações de racismo e intolerância religiosa nas redes sociais, a Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância do Rio de Janeiro informou, em nota enviada ao jornal Extra, que está apurando os casos.

“De acordo com informações da Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) foi instaurado inquérito para apurar o ocorrido. As investigações estão sob sigilo”, diz o comunicado.

O caso mais recente envolveu o participante Maycon, que disse ter sentido um arrepio ao ouvir “músicas esquisitas” no momento em que viu Gabriela e Rodrigo dançando Jorge Aragão. “Cumprimentei (a Gabi e o Rodrigo), conversei, de repente eu senti um arrepio. Começou a tocar umas músicas esquisitas. Olhei para os dois, num sincronismo legal. Achei legal, juro por Deus. De repente, comecei a olhar e escutar uns negócios. ‘Não faça igual a eles’. Aí veio Jesus Cristo em minha mente. ‘Não para aqui. Para a vida inteira. Se fizer igual a eles, eles ganharão mais força’. Eu não sou doido”, disse Maycon, ontem (10).

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Faceb