A Máquina de Vendas, dona da rede Ricardo Eletro, teve o seu plano de recuperação extrajudicial homologado no início da tarde de hoje, como consta informação no processo na 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo. A empresa deu entrada no pedido em agosto, após acordo com um grupo de credores que representavam cerca de 80% dos créditos em aberto. O valor da ação é de cerca de R$ 1,9 bilhão, segundo consta no processo. Houve negociações de valores dos créditos em aberto.

“As recuperandas concordaram com todas as impugnações no que tange especificamente às divergências de valores apresentadas pelos credores, rebatendo, de outro lado, as alegações de nulidade e outras questões que impediram, segundo os impugnantes, a homologação judicial do plano”, escreveu o juiz Tiago Henriques Papaterra Limongi. Existem seis opções para pagamentos de credores, negociadas e presentes no processo. O processo de recuperação da Máquina de Vendas tem sido conduzido pelo fundo de private equity Starboard, que adquiriu 72,5% da companha por R$ 250 milhões. A Máquina de Vendas surgiu em 2010, quando a rede de varejo Insinuante e a Ricardo Eletro uniram as suas operações.

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook