WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
dezembro 2018
D S T Q Q S S
« nov   jan »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  


:: 29/dez/2018 . 22:04

Três homens morrem após troca de tiros com a Rondesp em Feira de Santana

Três homens morreram após um confronto com policiais militares da Rondesp, na manhã deste sábado (29), no bairro Queimadinha, em Feira de Santana. Um dos suspeitos foi identificado como Jadson Ribeiro Alves, 26 anos. Os demais ainda não foram identificados.

De acordo com a Polícia Militar, as guarnições da Rondesp foram informadas através do Cicom, por volta das 10h, que um grupo estava exibindo armas na Travessa Alcides Fadiga, na Queimadinha. Os policiais se deslocaram até o local e foram recebidos a tiros pelos suspeitos, que fugiram em direção às taboas.

A equipe solicitou então um drone da 66ª Companhia Independente (CIPM) para tentar localizar os suspeitos, que fugiram para os fundos de residências na Rua Espírito Santo. Após nova abordagem, houve uma troca de tiros e três suspeitos foram alvejados.

Os feridos foram socorridos para o Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA), mas não resistiram e morreram após dar entrada na emergência. Com os suspeitos foram apreendidos dois revólveres calibre 38, uma pistola 9mm com dois carregadores; 11 cartuchos calibre 38 (três intactos e oito deflagrados); 19 cartuchos de 9mm; R$ 132s; 30 pedras de crack; cinco buchas de maconha; dois cartões da Caixa Econômica; seis aparelhos celulares e um relógio.

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook

Emprego informal cresce e população ocupada atinge maior nível da história, diz levantamento

Levantamento dvulgado hoje (29) pelo jornal Folha de S. Paulo aponta que o mercado de trabalho chega ao fim do ano com um número de 12,2 milhões de desempregados, mas que, em contrapartida, a população ocupada atingiu o maior nível da série histórica: 93,1 milhões.

O número é explicado pelo crescimento do trabalho informal, o que leva, diz o levantamento, à inclusão do contingente no total da população ocupada. Entretanto, o desemprego ainda permanece com índices altos.

No trimestre que inclui os meses de setembro, outubro e novembro, a taxa de desemprego no país chegou a 11,6%, o que, em números redondos, é convertido em 12,2 milhões de pessoas desocupadas, segundo dados do IBGE publicados ontem (28).

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook

Prazo para implantar placa modelo Mercosul é adiado para junho de 2019

Uma resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) publicada no diário oficial desta sexta (28) adiou mais uma vez o prazo para que os estados iniciem a implantação do uso das placas modelo Mercosul nos veículos.

Em discussão desde o início de 2018, o novo sistema já enfrentou outros adiamentos e chegou a ser suspenso por decisão liminar em outubro, após ser adotado no Rio de Janeiro. Desta vez, o prazo que ia até o dia 31 de dezembro foi estendido até 30 de junho de 2019.

Com a decisão, os estados terão mais um semestre para se adequarem a norma, que deverá ser aplicada no registro de novos veículos ou no caso de transferências ou substituição das placas antigas.

A data limite estabelecida inicialmente era 1º de setembro. Depois mudou para o início de dezembro, até que acabou fixada no último dia do ano por outra resolução.

Em outubro, a Justiça suspendeu a adoção das placas em todo o Brasil. A decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região de Brasília foi assinada pela desembargadora federal Daniele Maranhão Costa.

Dois problemas foram alegados no novo sistema de placas: equívoco na atribuição das empresas que fabricam as placas e o fato do sistema integrado de informações não estar pronto antes da adoção da nova identificação dos veículos.

A liminar atendia a pedido da Aplasc (Associação das empresas fabricantes e lacradoras de placas automotivas do Estado de Santa Catarina).

Dono da quarta maior frota de automóveis do país, atrás de São Paulo, Minas Gerais e Paraná, o Rio de Janeiro, com 4,78 milhões de unidades licenciadas, foi o primeiro estado a adotar a utilização das placas modelo Mercosul.

Como a liminar que impedia o uso das novas identificações foi derrubada pela Justiça, o procedimento seguiu normalmente no estado e tem sido aplicado na troca de jurisdição, troca de município, transferência de propriedade, quando a placa está danificada ou quando é a vontade do cliente.

O preço da placa modelo Mercosul no Rio de Janeiro é R$ 219,35, o mesmo valor cobrado no estado pelas antigas placas. Segundo o Detran-RJ, até o dia 28 de dezembro foram emplacados cerca de 350 mil veículos.

PLACA MERCOSUL
As novas placas do Mercosul são inspiradas no sistema integrado adotado já há vários anos pelos países da União Europeia. Eles serão aplicadas de maneira padronizada a aproximadamente 110 milhões de veículos de cinco países signatários: Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela.

Intenção é, no futuro, criar um banco de dados único entre tais países, o que teoricamente facilitará o trânsito e também a fiscalização entre fronteiras. Por enquanto apenas Uruguai (desde março de 2015) e Argentina (abril de 2016) adotaram o novo sistema de identificação.

Todas as chapas possuem fundo branco e sete caracteres, tendo quatro letras e três números. Na tarja superior azul constarão a bandeira e o nome do respectivo país.

Os números e letras poderão ser dispostos de maneira aleatória. Na Argentina, por exemplo, adotou-se um padrão “LL NNN LL” (sendo L para letras e N para números), a fim de se evitar formação de palavras. No caso do Brasil o padrão inicial será “LLL NL NN” para carros e “LLL NN LN” para motos. O último dígito provavelmente continuará a ser sempre um número, devido à aplicação do rodízio veicular na cidade de São Paulo (SP). Leia mais AQUI.

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook

Desemprego em novembro cai a 11,6% com recorde de trabalho informal, aponta IBGE

A taxa de desemprego no país no trimestre encerrado em novembro ficou em 11,6%, divulgou o IBGE na manhã desta sexta-feira (28). O resultado representou queda frente ao registrado no trimestre encerrado em agosto, quando a taxa esteve em 12,1%. Já na comparação com a taxa do período encerrado em novembro de 2017, o desemprego teve baixa de 0,4 ponto percentual.

O país fechou o trimestre encerrado em novembro com 12,2 milhões de desocupados, que são pessoas desempregadas, mas que estão em busca de colocação. Esse número caiu em 501 mil pessoas na passagem dos trimestres encerrados em agosto e novembro. No intervalo de um ano, o país registrou 364 mil pessoas desocupadas a menos.

Os dados são da Pnad Contínua, pesquisa domiciliar do IBGE de abrangência nacional e que contabiliza empregos formais e informais. A taxa de desemprego no país tem experimentado quedas desde o ano passado em razão do aumento dos trabalhos informais, que crescem a medida que reduzem os postos com carteira de trabalho assinada.

O volume de pessoas empregadas no país foi recorde desde o início da série histórica, em razão de recordes também na geração de vagas sem carteira assinada ou de trabalho por conta própria.

O contingente de ocupados no país, que são as pessoas que estão de fato em um trabalho, informal ou não, atingiu 93,1 milhões de pessoas no trimestre encerrado em novembro, alta de 1,1 milhão de pessoas frente ao trimestre imediatamente anterior. No intervalo de um ano, os ocupados tiveram aumento de 1,2 milhão de pessoas.

Os trabalhadores sem carteira assinada somaram 11,6 milhões, alta de 4,5% ou 498 mil pessoas em relação ao trimestre encerado em agosto. No intervalo de um ano, foram criadas 522 mil vagas sem carteira. Já os trabalhadores por conta própria, que são autônomos sem funcionários, encerraram novembro em 23,8 milhões de pessoas, alta de 2,3% ou 528 mil novas a mais nessa situação. Na comparação entre os anos, 771 mil pessoas passaram a essa condição neste ano.

O crescimento dos trabalhadores por conta própria e sem carteira ocorreu em detrimento da estabilidade da criação de vagas formais. O país fechou novembro com 33 milhões de pessoas trabalhando com carteira, número que não variou na comparação com o trimestre imediatamente anterior. Apenas 6 mil vagas com carteira foram criadas no período. Na comparação entre os anos, houve ligeira alta, de 0,8% ou 256 mil pessoas.

Houve aumento de vagas, no trimestre encerrado em novembro, nos setores da agricultura (mais 13 mil pessoas frente a julho), informação e atividades financeiras, imobiliárias e administrativas (mais 12 mil pessoas na mesma base comparativa), administração pública (mais 16 mil) e outros serviços (mais 19 mil).

SUBUTILIZAÇÃO

A população subutilizada atingiu 27 milhões de pessoas no trimestre encerrado em novembro, contingente que registrou queda de 478 mil pessoas frente ao trimestre encerrado em julho (queda de 1,7%). Já a taxa de subutilização da força de trabalho recuou 0,5 ponto percentual em novembro para 23,9%. Na comparação com igual período do ano passado, o indicador manteve-se estável.

O conceito de força de trabalho subutilizada inclui desempregados em busca de ocupação (desocupados) e pessoas que gostariam de trabalhar, mas não podem assumir um posto de trabalho e trabalhadores cujas cargas horárias são menores que 40 horas semanais. São pessoas que poderiam estar trabalhando, têm idade e disposição, mas não encontram oportunidades.

Apesar do desemprego em queda, o país registrou estabilidade no número de pessoas desalentadas, que são aquelas que desistem de procurar emprego depois de muito tentar. O contingente de desalentados encerrou novembro em 4,7 milhões, queda de 1% (ou 48 mil pessoas) frente a julho. Na comparação anual, os desalentados cresceram em 426 mil pessoas, com alta de 9,9% no período.

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook

Governo Temer tem aprovação de 7% e reprovação de 62% dos brasileiros, diz Datafolha

Pesquisa Datafolha divulgada nesta última quinta-feira (27/12) mostra os seguintes percentuais de avaliação do governo do presidente Michel Temer (MDB):

Ótimo/bom: 7%
Regular: 29%
Ruim/péssimo: 62%

Na pesquisa anterior do Datafolha, divulgada em agosto, 73% dos entrevistados consideravam o governo Temer “ruim/péssimo”; 21%, “regular”; e 4% o avaliavam como “bom/ótimo”. O Datafolha ouviu 2.077 pessoas em 130 municípios entre os dias 18 e 19 de dezembro. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook

Inema aponta 16 praias de Salvador impróprias para banho neste fim de semana

O Instituto do Meio-Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) divulgou ontem (28) um levantamento que aponta 16 praias em Salvador impróprias para banho neste fim de semana.

O estudo aponta que estão impróprias as praias de Tubarão, Periperi, Bogari, Pedra Furada, Corsário, Penha, Farol da Barra, Ondina, Armação, Santa Maria, Farol de Itapuã, Boca do Rio, Patamares, Pituba (na Rua Paraíba e antigo Clube Português) e Roma.

Em toda a Bahia, foram consideradas 32 praias impróprias para banho, entre localidades das Costas do Dendê, dos Coqueiros, do Cacau, do Descobrimento e das Baleias, além da Baía-de-Todos-os-Santos.

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook

Baianos terão menos feriados em dias úteis em 2019; veja lista

O ano de 2019 terá menos feriados em dias úteis do que 2018. O Ministério do Planejamento publicou nesta sexta-feira (28), no Diário Oficial da União, o calendário dos feriados e pontos facultativos da administração federal em 2019. No novo ano quatro feriados nacionais vão cair em finais de semana: Tiradentes será em um domingo, Independência do Brasil em um sábado, assim como Dia de Nossa Senhora da Aparecida e Finados.

Os feriados nacionais que vão cair em dias úteis serão 1º de janeiro, em uma terça; 19 de abril, a Sexta-feira Santa; 1º de maio, o Dia Mundial do Trabalho, será em uma quarta e o 15 de novembro, Proclamação da República, sexta-feira.

A Bahia tem outros três dias de folga definidos pela Constituição do estado. O Carnaval cairá no dia 05 de março, uma terça-feira – no Brasil, a terça, assim como a segunda (04) de Carnaval e a Quarta-Feira de Cinzas (06) serão pontos facultativos, mas na Bahia a terça é definida como feriado. O dia de São João, 24 de junho, vai cair em uma segunda-feira. Enquanto o feriado de Independência da Bahia, no dia 02 de julho, será em uma terça-feira em 2019.

Confira a lista dos feriados de 2019:

:: LEIA MAIS »

Carreta bitrem tomba e motorista fica ferido no oeste do estado

O motorista de uma carreta bitrem ficou ferido após o veículo tombar ontem (27), na rodovia BA-172, perto do município de Brejolândia, no oeste do estado. Após o acidente, parte da carreta ficou atravessada na pista.

Segundo a Polícia Militar, o caso aconteceu na região do Povoado Curva do Riacho. Não há informações sobre as circunstâncias do acidente. Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi enviada ao local e prestou socorro à vítima, que foi levada ao hospital. Não há detalhes sobre o estado de saúde dele.

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook

Na contramão da crise, mercado de seguros fecha 2018 com balanço positivo na Bahia

Apesar do ano conturbado para a economia, o mercado de seguros fecha 2018 com balanços positivos. Entre janeiro e outubro, o setor registrou crescimento de 8,9%, considerando os números sem a interferência dos seguros VGBL e DPVAT.

Com a duas modalidades, o setor registrou queda de 1,3% e o volume de prêmios atingiu R$ 172,1 bilhões, nos dez meses de 2018.

No período, o crescimento dos seguros de pessoas foi de 9,7%, com prêmios de R$ 30,1 bilhões. Já os ramos patrimoniais obtiveram prêmios de R$ 12,1 bilhões e crescimento de 8%. O seguro auto fechou os dez meses com crescimento de 6,6% e prêmios de R$ 29,7 bilhões.

Na Bahia, os seguros de pessoas cresceram 17%, já o patrimonial e o automotivo alcançaram, respectivamente, 14% e 6%, em valores aproximados.

No seu primeiro ano de funcionamento, a Specialist Corretora conquistou espaço no mercado e comemora o balanço positivo. A empresa busca ser uma aposta qualitativa para empreendimentos locais e uma opção confiável no mercado baiano de seguros.

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook

Estado antecipa R$ 297,9 milhões do ICMS aos 417 municípios baianos

O Governo do Estado antecipou hoje (28) aos 417 municípios baianos R$ 297,9 milhões de arrecadação do ICMS que, de acordo com o calendário das transferências constitucionais, só seriam repassados em janeiro. O governo também antecipou aos municípios o aporte de R$ 180,4 milhões ao Fundeb – Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, com recursos provenientes dos três impostos estaduais (ICMS, IPVA e ITD). A antecipação total de R$ 478,3 milhões foi possível após entendimento do Estado com o Banco do Brasil, e diz respeito à arrecadação estadual entre os dias 22 e 27 de dezembro.

Em 2 de janeiro serão repassadas as cotas relativas à arrecadação dos impostos estaduais no dia 28 de dezembro, último com expediente bancário em 2017. A antecipação foi anunciada no último dia 19 pelo governador Rui Costa em atendimento a uma solicitação da União dos Municípios da Bahia (UPB), para que as prefeituras pudessem contar assim com novos recursos para o fechamento das contas de 2018.

Entre os grandes municípios do Estado, coube a Salvador o maior volume do ICMS antecipado: R$ 40,3 milhões. Outros repasses significativos contemplaram Camaçari (R$ 24,1 milhões), São Francisco do Conde (R$ 20,8 milhões), Feira de Santana (R$ 12,9 milhões), Paulo Afonso (R$ 7,8 milhões) e Simões Filho (R$ 7,7 milhões). “Ao antecipar quase meio bilhão de reais aos municípios, o Estado reforça o caixa dos municípios na virada de ano. Sob a orientação do governador Rui Costa, este esforço leva em conta o difícil cenário econômico, que vem desafiando todas as esferas da administração pública,”, afirma o secretário da Fazenda do Estado, Manoel Vitório. Ele ressalta o grande esforço do fisco estadual para manter o ritmo da arrecadação dos impostos estaduais, mesmo com a persistência da crise econômica.

Participe do nosso Grupo no WhatsApp

Siga nosso Instagram

Curta nossa Pagina no Facebook

blog do marcelo




WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia